No Brasil, já existe uma vacina aprovada para adolescentes maiores de 12 anos. Apesar disso, a faixa etária foi ignorada no Programa Nacional de Imunização para a COVID-19.

Por isso, nossa campanha é para que adolescentes do grupo de risco para a doença sejam incluídos no programa, sempre que houver vacina aprovada para aquela faixa etária.

Cardiopatas, pessoas com doenças crônicas, hipertensos, imunossuprimidos, pessoas com Câncer, com deficiências, doenças degenerativas: adolescentes desses grupos também devem ter seu direito à saúde resguardado.

Vale lembrar que as pessoas com comorbidades, mesmo os mais jovens, tem riscos aumentados de agravamento da doença, ou seja, ocupam mais leitos de UTI e muitas vezes vão a óbito. E é por isso que devem ser priorizados. Quando os governos sinalizam a intenção de vacinar pessoas sem comorbidades, indicando que os grupos prioritários já foram vacinados, erguemos nossa voz para dizer: os adolescentes com comorbidades não podem mais ser invisibilizados. Eles existem, nossos filhos existem!

E é por isso que criamos essa campanha. Nos ajude a multiplicar nossa voz, compartilhando o conteúdo em suas redes sociais, cobrando políticos, gestores, imprensa.

Também queremos lembrar a importância da vacinação de mães. Nesse país onde tantas crianças já ficaram órfãs, quem se importa com as mães de crianças e adolescentes em UTI e/ ou home care? As puérperas foram inclusas no PNI, mas não todas as mães. Diariamente, há mães entrando e saindo de hospitais, expostas a vírus, como os profissionais de saúde. Como cuidadoras (assim como as cuidadoras de pessoas com deficiência grave ou doenças crônicas), também precisam ser lembradas no Programa Nacional de Imunização.

Nos ajude a multiplicar nossa voz, compartilhando o conteúdo em suas redes sociais, cobrando políticos, gestores, imprensa.